RODOVIAS E FERROVIAS

A forte relação comercial do Uruguai com o Brasil e a Argentina, a concentração de grande parte da população na sua capital, Montevidéu, e uma rede ferroviária de baixo uso, fazem com que o fluxo de comércio intrarregião se realize principalmente por meio do sistema rodoviário. Por isso existe uma rede de rodovias que une Montevidéu com as principais cidades da região. Três pontes sobre o Rio Uruguai comunicam o país com a Argentina nas cidades de Salto, Paysandú e Fray Bentos, enquanto com o Brasil o acesso é realizado através de fronteiras terrestres pelas cidades de Bella Unión, Artigas, Rivera, Aceguá, Río Branco e Chuy (ver Figura Nº 5).

Figura Nº1 – Conectividade das principais estradas do Uruguai com o Brasil e a Argentina

Screenshot_1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Uruguai apresenta o maior grau de conectividade viária – interna e externa – e a rede viária mais densa de todos os países da América Latina. Essa rede tem cerca de 8.776 quilômetros[1] dos quais 7.977 km estão pavimentados[2], o que gera um raio de 45 km de rodovias pavimentadas por cada 1.000 km2 de superfície. Dessa forma, o Uruguai é o terceiro país na América do Sul no que diz respeito à qualidade de suas rodovias (The Global Competitiveness Report 2016, World Economic Forum).

Em 2013 a mercadoria transportada por rodovias (incluindo mercadoria de entrada e saída) superou os 25 milhões de toneladas.

Por sua vez, a rede ferroviária do Uruguai tem uma extensão de 3.073 km, dos quais desde finais do século XX, 1.673 km estão em operação, e um parque de 25 locomotoras de via principal[3] e 760 vagões[4]. A rede ferroviária conecta com as redes da Argentina através do ramal El Precursor, sobre a Barragem de Salto Grande, ligando a cidade de Salto e Concordia com a mesma bitola em ambos os países, e com o Brasil no Passo de Fronteira Rivera-Livramento, com diferente acabamento.

Gráfico Nº1 – Movimento de carga em ferrovias por tipo de produto. Ano 2017[5]

 gráfica-en-ingles

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Observatório Nacional de Infraestrutura, Transporte e Logística do Uruguai.

[1] Fonte: Observatório Nacional de Infraestrutura, Transporte e Logística do Uruguai.

[2] Observação: Não são considerados pavimentos os de pedra bruta.

[3] Fonte: Observatório Nacional de Infraestrutura, Transporte e Logística do Uruguai.

[4] Observação: Não inclui vagões de passageiros.

[5] Fonte: Observatório Nacional de Infraestrutura, Transporte e Logística do Uruguai.